object(WP_Post)#9569 (24) { ["ID"]=> int(40210) ["post_author"]=> string(1) "1" ["post_date"]=> string(19) "2024-05-22 09:40:51" ["post_date_gmt"]=> string(19) "2024-05-22 12:40:51" ["post_content"]=> string(6066) "

Vencer é um verbo que pode ter vários significados dependendo das pessoas e contextos envolvidos. No esporte, ser um vitorioso, para alguns, pode se restringir a resultados simplistas como medalhas e troféus.

Já, para outros, a alcunha de vencedor pode ser designada a qualquer atleta que tenha superado uma adversidade, seja ela esportiva ou não.

Nascido no interior de São Paulo, na cidade de São Joaquim da Barra, Alison dos Santos começou sua trajetória de superação logo cedo, aos 10 meses de vida.

Enquanto estava na casa de sua avó Geni, uma frigideira de óleo quente virou acidentalmente sobre o bebê, causando uma queimadura de terceiro grau. Alison precisou ficar quatro meses internado até ter condições de voltar para casa.

As cicatrizes do incidente podem ser facilmente notadas em sua testa, couro cabeludo, rosto, peito e braço esquerdo. É por isso que a falha no cabelo do atleta causa a impressão de Alison ser bem mais velho do que realmente é.

As marcas em sua pele fizeram com que o garoto fosse um jovem extremamente tímido. Mas tudo isso começou a mudar quando “Piu” — apelido que recebeu desde cedo pela semelhança com um vizinho da sua cidade — começou a se envolver com esportes.

Dos 6 aos 14 anos, Alison se dedicou ao judô, mas acabou sendo obrigado a largar a modalidade devido aos altos custos de treinamentos. Foi ali que sua história começaria, entre saltos e corridas, no atletismo.

No início, “Piu” se dedicava ao salto em altura, mas sua treinadora, Ana Fidélis, enxergou seu potencial para as provas com barreiras.

Com muito determinação e treinamentos, Alison se destacou rapidamente na modalidade até se tornar um dos maiores nomes da história.

(Imagem; Fernanda Davoglio | CBA)

Em 2019, a primeira grande medalha veio em Lima, no Peru, com o ouro nos 400m com barreiras nos Jogos Pan-Americanos. Mas o sucesso veio pra valer do outro lado do mundo, em 2021.

A primeira da história 🥉

46s72 — Esse foi o tempo que Alison dos Santos fez na prova dos 400m com barreiras para conquistar o bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a primeira medalha brasileira na história da prova.

Para se ter uma ideia do feito do brasileiro, o tempo de Alison no Japão teria garantido um ouro para o atleta em todos os Jogos Olímpicos anteriores.

(Imagem: Wagner Carmo | CBA)

No ano seguinte, Alison foi além — superou seus grandes oponentes do Japão — e conquistou a medalha de ouro no Mundial de Atletismo, estabelecendo um novo recorde no campeonato. Veja aqui a narração emocionante da grande vitória!

Como preparação para Paris, o brasileiro conquistou há duas semanas mais uma medalha dourada pra sua coleção.

A vitória veio na Etapa de Doha da Diamond League, com direito a dois segundos de vantagem para o 2° colocado, além de quebrar o recorde da liga — que também era dele.

Depois de tantas medalhas, você com certeza não ficará surpreso quando vir Alison dos Santos com a medalha dourada daqui a dois meses. risos.

" ["post_title"]=> string(63) "Alison dos Santos: Superando barreiras dentro e fora das pistas" ["post_excerpt"]=> string(0) "" ["post_status"]=> string(7) "publish" ["comment_status"]=> string(6) "closed" ["ping_status"]=> string(6) "closed" ["post_password"]=> string(0) "" ["post_name"]=> string(62) "alison-dos-santos-superando-barreiras-dentro-e-fora-das-pistas" ["to_ping"]=> string(0) "" ["pinged"]=> string(0) "" ["post_modified"]=> string(19) "2024-05-22 09:40:52" ["post_modified_gmt"]=> string(19) "2024-05-22 12:40:52" ["post_content_filtered"]=> string(0) "" ["post_parent"]=> int(0) ["guid"]=> string(44) "https://thenews.waffle.com.br/sem-categoria/" ["menu_order"]=> int(0) ["post_type"]=> string(4) "post" ["post_mime_type"]=> string(0) "" ["comment_count"]=> string(1) "0" ["filter"]=> string(3) "raw" }