object(WP_Post)#9573 (24) { ["ID"]=> int(33800) ["post_author"]=> string(1) "1" ["post_date"]=> string(19) "2024-03-27 09:39:43" ["post_date_gmt"]=> string(19) "2024-03-27 12:39:43" ["post_content"]=> string(5722) "

Faltam menos de 4 meses para o início dos Jogos Olímpicos de Paris, mas quem disse que não podemos já entrar no clima do maior evento esportivo do planeta?

A nossa primeira “viagem” de esportes olímpicos será para retratar a história de um brasileiro que, além de sua excelência, proporcionou uma grande e importante mudança de paradigmas no esporte.

Nascido na zona norte de São Paulo, em 29 de setembro de 1927, e filho de um ferroviário e de uma lavadeira, Adhemar Ferreira da Silva teve uma infância sofrida.

A paixão foi à primeira vista. O jovem ficou extremamente empolgado com a modalidade e começou a treinar nos intervalos que tinha do trabalho, principalmente no horário de almoço.

Dois anos depois, estreou no esporte no torneio Troféu Brasil, alcançando a marca de 13,05 metros no salto triplo.

🇫🇮 Mas era em Helsinque, na Finlândia, que seu nome entraria na galeria dos maiores e mais importantes esportistas de todos os tempos.

Nos Jogos Olímpicos de 1952, Adhemar quebrou quatro vezes o recorde olímpico numa mesma tarde, chegando a saltar 16,22 metros — alcance que coroou o brasileiro com a medalha de ouro.

Comparando…. O soviético Leonid Shcherbakov, que ficou com a prata, saltou 24cm a menos que Adhemar.

(Imagem: Comitê Olímpico do Brasil | Reprodução)

Aclamado pelos 70 mil presentes no estádio, Adhemar correu em volta do gramado acenando para as arquibancadas enquanto seu nome (“Da Silva”) era gritado pelos torcedores.

Assim nascia a tão famosa “volta olímpica”, comemoração que passou a ser copiada por inúmeros atletas ao redor do mundo como forma de festejar uma conquista.

Na Olímpiada seguinte, em Melbourne, novamente o brasileiro estava lá no posto mais alto do pódio conquistando mais uma medalha de ouro para o atletismo brasileiro — sem falar em mais uma quebra de recorde (16,35 m).

Com mais de 40 títulos internacionais conquistados, Adhemar Ferreira da Silva é o único brasileiro a integrar o Hall da Fama do atletismo. Veja um pouco dos seus principais marcos:

A estrela tricolor

Se já não bastasse ser um dos maiores esportistas da história do Brasil, Adhemar tem uma grande história no futebol.

Talvez você desconheça a profunda relação existente entre o corredor e o São Paulo Futebol Clube, mas acredite, essa ligação está cravada no símbolo mais sagrado do clube.

O São Paulo Futebol Clube homenageou Adhemar com duas estrelas douradas sobre o escudo da camisa. O motivo? Foi no clube tricolor que o atleta começou no atletismo.

Cada estrela significa um recorde mundial quebrado pelo corredor. O primeiro nas Olimpíadas de 1952 e o segundo no Pan-americano de 1955.

" ["post_title"]=> string(70) "Adhemar Ferreira da Silva: O pioneiro da maior comemoração esportiva" ["post_excerpt"]=> string(0) "" ["post_status"]=> string(7) "publish" ["comment_status"]=> string(6) "closed" ["ping_status"]=> string(6) "closed" ["post_password"]=> string(0) "" ["post_name"]=> string(67) "adhemar-ferreira-da-silva-o-pioneiro-da-maior-comemoracao-esportiva" ["to_ping"]=> string(0) "" ["pinged"]=> string(0) "" ["post_modified"]=> string(19) "2024-03-27 09:39:44" ["post_modified_gmt"]=> string(19) "2024-03-27 12:39:44" ["post_content_filtered"]=> string(0) "" ["post_parent"]=> int(0) ["guid"]=> string(44) "https://thenews.waffle.com.br/sem-categoria/" ["menu_order"]=> int(0) ["post_type"]=> string(4) "post" ["post_mime_type"]=> string(0) "" ["comment_count"]=> string(1) "0" ["filter"]=> string(3) "raw" }